[ editar artigo]

Levando a Inovação para todos os lugares

Levando a Inovação para todos os lugares

Inovação significa criar algo. A palavra é derivada do termo latino innovatio, e se refere a uma ideia, método ou objeto que é criado e que pouco se parece com padrões anteriores. Ou seja, em pleno século XXI, as empresas precisam deixar de lado os seus tradicionais e engessados sistemas, muitas vezes por eles não conseguirem acompanhar a inovação.

Atualmente é preciso inovar e estar sempre um passo a frente dos seus concorrentes, para se manter competitivo no mercado. Inovação não é somente criar coisas novas, pois nós brasileiros somos talvez um dos mais inovadores do mundo em função das restrições que nós temos.

Um país que ajuda muito pouco com suas instituições – para não dizer que atrapalha. Temos um ambiente não apropriado para isso acontecer, mas temos inovação em todos os lugares. É importante lembrar que inovação não é só criar um produto ou serviço novo, às vezes é atender a um novo mercado com um produto já existente.

Das experiências com veículos autônomos em Cingapura à participação popular por meio de aplicativos em Boston, em diferentes partes do mundo há iniciativas criativas e bem-sucedidas de “cidades inteligentes”.

Um exemplo disso acontecendo aqui em nosso país, mais precisamente e no nosso estado está ao nosso redor. Um exemplo é o que tem ocorrido com a Rede Condor, que em parceria com o Projeto Jovem Empresário, se uniram e formaram o Condor Connect, a fim de desenvolver e acelerar Startups que possam solucionar as dores do grande varejo nacional e internacional.

Outro exemplo, é o investimento das universidades em inovação e empreendedorismo para a formação de seus alunos, com o objetivo de estimular iniciativas empreendedoras e provocar os alunos a criarem startups para colocação no mercado, ao invés de seguirem “o fluxo”, de cursar uma boa faculdade, e correr atrás de um emprego comum, deixando muitas vezes os seus sonhos de lado.

A inovação está presente até nas cidades que são bem distantes das capitais, como é o caso de Jandaia do Sul e do Campus da UFPR de Jandaia do Sul, região norte do Paraná.

Ao moldar os olhos dos acadêmicos, empreendedores e até mesmo quem está em busca de trabalho é possível notar que todos tem uma ideia, que possa resolver os problemas X, Y, e Z, das mais diversas formas possíveis, significando que o lado empreendedor das pessoas está adormecido, sendo necessário apenas despertar esse lado.  

Foi o que fez a empreendedora e CEO da Comunidade Connect Daiane Pereira que, permaneceu na região norte do Paraná, durante o mês de fevereiro para realizar eventos ao longo do período, aonde realizou várias oficinas com diferentes turmas e disciplinas e eventos com os alunos das universidades, apresentando como é o processo da formação de startups, como é feita a captação dos recursos humanos, a fim de que as Startups que irão nascer dentro das faculdades, possam de fato estarem solucionando as dores reais, que encontramos em nosso dia-a-dia.

Dente os acadêmicos da UFPR de Jandaia do Sula, estavam presentes os alunos de licenciatura de computação, licenciatura de ciências exatas, engenharia de produção, engenharia de alimentos e engenharia agrícola.

É possível levar a inovação para qualquer lugar, seja em uma microempresa, escola, universidade, e até mesmo grandes corporações de bilhões e bilhões de dólares, simplesmente mostrando o outro lado da moeda, para que o empreendedor possa estar sempre um passo à frente e pronto para o futuro!

HUB DE INOVAÇÃO DO VALE
Jean Alex Marcondes Maraschin
Jean Alex Marcondes Maraschin Seguir

Bacharel em Ciência da Computação, especialista em Gerenciamento de Projetos - FGV, Manager da 1° Academia de Programação, jogos e robótica para crianças e adolescentes, 100% em Realidade Virtual

Ler conteúdo completo
Indicados para você