[ editar artigo]

Transformação Digital: Pandemia trás mudanças rápidas para o comércio

Transformação Digital: Pandemia trás mudanças rápidas para o comércio

A transformação digital vinha transformando o mindset das empresas, mas a crise do Covid-19 atropelou toda a economia global.

Um dos segmentos da tecnologia que mais se destacaram foi o de produtos e serviços gerenciados de suporte de TI que adotaram o home office em milhares de empresas. Ou seja, se a maioria das empresas teve de repensar seus modelos de negócios, não seria diferente para aquelas que atuam com ferramentas digitais.

Nos últimos meses, o mundo tem vivido uma verdadeira revolução nas relações das pessoas com a tecnologia e como ela integra-se à nossa rotina. As mudanças causadas pela crise da pandemia aceleraram a cultura digital do cidadão e do consumidor, assim como os processos digitais dentro das organizações.

Algo que levaria anos para acontecer, ocorreu em 5 meses. Outra tendência antiga, mas que vinha avançando com lentidão, é o trabalho de qualquer lugar (anywhere office). De uma hora para outra, as empresas buscaram adaptar-se a uma nova realidade, em que todos estão trabalhando de suas casas.

E com a mesma eficiência, produtividade e colaboração que antes por meio de ferramentas digitais. A sincronização entre contas em qualquer dispositivo ajuda a solucionar qualquer problema. Implementar automação nos processos pode oferecer agilidade, eficiência e qualidade a muitas atividades.

Além disso, vai reduzir custos e aumentar a produtividade, auxiliando os profissionais na otimização de seus departamentos. Com essa atitude que o Bob’s rede de fast food com 570 lojas, vem se destacando no franchising quando o assunto é transformação digital.

A marca foi a primeira a colocar em operação uma loja sem caixa em 2017. Em maio deste ano lançou seu próprio aplicativo, o ChamaoBob’s, que contabilizou mais de 200 mil downloads e acelerou as vendas digitais. O entusiasmo com que o Bob’s abraçou a transformação digital vai além da maioria das redes brasileiras, e estimula outras marcas a fazerem o mesmo.

Ao se depararem com a pressão gerada pelo próprio consumidor e pelo impacto do coronavírus, que provocou grandes mudanças nos hábitos de consumo, as franquias brasileiras se viram obrigadas a correr para colocar em prática a tão propaganda transformação digital.

Com 80 unidades, das quais oito foram abertas no início da pandemia, a Dermage se viu obrigada a antecipar projetos previstos para 2022/2023.

“Nossa ideia era adotar uma ferramenta de CRM mais robusta para depois fazer do e-commerce um canal relevante tanto para a marca quanto para os franqueados. Até então, o on-line não respondia por mais do que 5% das vendas”, conta Viviane Soares, diretora de marketing e varejo.

O investimento em inovação e tecnologia deve ser algo contínuo. O segredo do sucesso são suas tentativas e sua persistência para que o negócio tenha bons resultados e você possa aproveitar os benefícios que a tecnologia pode trazer.

"O desafio era grande, mas a franquia implementou as mudanças necessárias e em menos de um mês o e-commerce explodiu: em abril, as vendas feitas pela plataforma tiveram um aumento de 500% em relação ao mesmo mês do ano anterior. Com isso, multiplicaram-se também os problemas decorrentes de logística e entrega dos produtos."

Segundo Silvana Buzzi, diretora executiva da Associação Brasileira de Franchising (ABF), "quem estava minimamente estruturado tratou de avançar; quem não estava teve de buscar parcerias para transformar suas operações o mais rápido possível.

“Há, porém,uma minoria que insiste em não avançar, ignorando que o que fazíamos no passado nos trouxe até aqui, mas não necessariamente nos levará para o futuro.”

De acordo com o estudo realizado pela ABF, a adesão das redes ao e-commerce passou de 61% em 2019 para 70% até agosto desse ano, com a participação dos franqueados no canal saltando de 51,9% para 91,6% no mesmo período.

Avanço significativo também foi registrado na captura mista de pedidos — que usa canais próprios e marketplaces. A modalidade, que tinha participação de 45% nas vendas, em 2019, passou a contribuir com 73% do faturamento nos primeiros oito meses de 2020.

Acrescenta-se a esse cenário, a expansão das vendas pelas redes sociais, presente em 60%das marcas Então, está preparado para as transformações tecnológicas que ganharam espaço na era do Covid-19? Está na hora de investir em tecnologia na sua empresa para garantir o seu futuro.

Venha conversar com nossa equipe.

Fonte: Valor Econômico Franquias

HUB DE INOVAÇÃO DO VALE
Daiane Pereira
Daiane Pereira Seguir

CEO HUB de inovação do Vale, Comunidade Connect, CO-FOUNDER Condor Connect, Administradora, com especialização em Marketing Digital pela faculdade de marketing em São Paulo, empresária, atual nas áreas de consultoria em Gestão de Inovação.

Ler conteúdo completo
Indicados para você