[ editar artigo]

Vamos encarar o home office como um benefício?

Vamos encarar o home office como um benefício?

Nunca se falou tanto no trabalho remoto como nas últimas semanas, não é mesmo? Com o avanço da pandemia que nos assolou, muitos de nós fomos obrigados a trabalhar de uma outra maneira.

Diante deste contexto, fomos bombardeados sobre dicas de como trabalhar em casa (estrutura física, manutenção da rotina, estabelecimento de regras de horários, ergonomia, etc.). Contudo, pouco se falou da saúde emocional e da oportunidade diante deste novo mundo.

Por isso, o convite ao leitor deste artigo é darmos um passo adiante. Que tal nos distanciarmos do peso da obrigatoriedade e olharmos para a oportunidade de um novo modelo de trabalho que talvez chegue para ficar?

Atire a primeira pedra aquele que nunca pensou ou idealizou trabalhar em casa. Aquele que nunca sonhou com a possibilidade de não mais enfrentar duas (ou mais) horas diárias no caos do trânsito das grandes metrópoles. Aquele que nunca idealizou ter um cantinho em casa para de maneira relaxada e concentrada realizar as suas atividades.

Pois bem, partindo do pressuposto que muitos de nós já tenhamos pensado nisso, por que não olharmos para o copo cheio? Não quero parecer romântica, mas tenho convicção nisso.

Nas últimas semanas tenho ouvido muito profissionais exaustos emocionalmente com esta nova situação. Claro, não podemos negar que estamos sofrendo um ambiente externo de forte stress, mas quando converso com estas pessoas, ouço nitidamente através dos seus relatos que o foco está no problema, naquilo que não gerenciamos!

Não cabe a nós gerenciarmos a quarentena, a decisão da empresa, a forma de trabalho neste contexto. Mas cabe a nós gerenciarmos nossos pensamentos e atitudes diante deste novo. Mas, como?

Gosto muito de uma matriz extremamente simples, que há anos utilizo nos processos de coaching, orientação de carreira e treinamentos de lideranças. É uma técnica batizada de “já que”:

Lembrem-se, segundo a psicologia cognitiva comportamental aquilo que eu não gerencio só me causa ansiedade, medo, angústia e, para piorar, me paralisa. Em contrapartida, meus pensamentos e comportamentos são totalmente controlados por nós: só precisamos de disciplina e treino.

Minha chamada é para que comecemos hoje o treino. Faça sua matriz “Já que”. É uma ação simples, facilmente aplicada e que te trará para o foco das variáveis que você possa controlar. O treino te auxiliará na construção de novos padrões de pensamentos e comportamentos através de seu plano de ação; se seus comportamentos são repetidos, você tende a gerar um novo repertório!

Já que vários estudiosos e influenciadores afirmam que o mundo não voltará a ser o mesmo, que tal sairmos melhores deste aprendizado? Aproveite sua experiência do seu home office, foque naquilo que é importante e, sobretudo, foque naquilo que você possa gerenciar e influenciar. Tenho absoluta certeza de que isso te ajudará a melhorar sua saúde emocional.

“Bora lá”? O que te parece?

HUB DE INOVAÇÃO DO VALE
Simone Martins
Simone Martins Seguir

Psicóloga, com MBA em Gestão de Pessoas e Coach Executivo certificado pelo ICI / ICF, está no mercado há mais de 20 anos conectando pessoas e organizações. É fundadora da PlugRH, consultoria especializada em gestão de pessoas, processos e mudanças.

Ler matéria completa
Indicados para você